Blog

Economia e sustentabilidade podem - e devem - andar juntas

Não espere as contas pesarem no orçamento; é possível levar uma vida mais verde e economizar no consumo de energia

23/01/2020

Sustentabilidade é um dos termos que mais ouvimos hoje em dia. Há algumas décadas ele nem aparecia em nosso vocabulário, mas agora, conforme as sociedades vão notando os efeitos – geralmente negativos – que nós exercemos sobre o planeta, ser sustentável é questão de sobrevivência. E isso não é só modo de dizer! Afinal, tudo o que fazemos, produzimos e consumimos vem da natureza.

Preservar os recursos naturais como a água e o solo são pontos urgentes a serem tratados, não somente pelos governos, mas por cada um de nós. Pensando dessa forma, a PPA desenvolve tecnologias que tornam a relação entre homem e máquina muito mais saudável para o meio ambiente e para o bolso dos usuários, oferecendo conforto e segurança de forma sustentável.

Além disso, um modo de vida sustentável e ecologicamente mais viável também implica em economia. Você também já deve ter ouvido dizer que placas fotovoltaicas instaladas em uma residência, condomínio ou escola, por exemplo, reduz consideravelmente os custos com as contas de luz. Pois então. Podemos fazer uso de algo que nos é dado naturalmente sem poluir.

Um dos primeiros passos para adotar um estilo de vida mais verde é saber escolher os produtos a serem consumidos – e isso inclui as novas tecnologias e aparelhos eletroeletrônicos. E também conhecer quais e como eles gastam mais ou menos energia, bem como os hábitos que aliviam a nossa carteira a cada mês.

 

- Selo Procel de Eficiência Energética: Concedido pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), este selo indica o nível de gasto de cada eletrodoméstico, como as geladeiras. O nível de consumo e eficácia é medido por cores – do verde ao vermelho -, e por letras – e A a E. Preste atenção neste selo no momento em que for comprar um eletrodoméstico novo.

- Lâmpadas de LED: Um pouco mais cara do que as lâmpadas tradicionais, as de LED “se pagam” por seu maior tempo de duração, além de não aquecerem o ambiente.

 - Os “vilões”: Saiba quais eletroeletrônicos dão mais despesa com energia e assim use-os com mais parcimônia. Especialistas apontam a seguinte ordem:

  • Chuveiro elétrico - de 25 a 35% do valor da conta
  • Geladeira – de 25% a 30%
  • Lâmpadas – de 15% a 25%
  • Ar-condicionado – 15%
  • Aparelhos em modo de espera (stand by) – até 13%
  • Televisão – 6%
  • Ferro de passar roupa – 6%
  • Lavadoras de roupas – 3%

- Máquina de lavar: espere acumular roupas para usar sua capacidade máxima de uma só vez.

- Chuveiro: Nos dias mais quentes, mantenha a chave na posição “verão” e evite banhos demorados.

- Geladeira: Conserve bem a borracha de vedação e não use a parte de trás como secadora de roupas.

- Ar-condicionado: Terá melhor desempenho se for constantemente limpo e instalado onde haja boa circulação de ar, longe de raios solares e com temperatura entre 22 e 23ºC.

- Água de reuso: A agua da chuva pode ser armazenada e utilizada na limpeza dos quintais ou para regar jardins.

- Plástico: Evite o quanto puder o consumo de canudos, sacolas, copinhos descartáveis e outras embalagens plásticas – que levam mais de 400 anos para se decompor na natureza.

- Água: Cheque sempre os possíveis vazamentos nas torneiras, a fim de evitar o desperdício e o aumento na conta.

- Stand by: Deixar os eletrônicos em modo de espera, embora não pareça, gasta energia. Se não for usar, tire da tomada.

- Luz natural: Dê preferência a ambientes iluminados naturalmente pelo sol – ainda que de modo indireto.

- Pilhas e baterias: Não podem ser descartados no lixo comum, já que são feitos com metais pesados que contaminam o solo. Procure por algum posto específico de coleta.

- Os “mocinhos”: A maior parte dos equipamentos de segurança eletrônica e automação, consomem pouquíssima energia e geram pouco impacto nas contas. Ainda assim, algumas das linhas de automatizadores de portões da PPA, possuem tecnologias inovadoras que agregam eficiência no funcionamento e eficiência energética. É o caso, por exemplo, da linha JetFlex Brushless que, além de rápidos, consome menos energia e da linha Brushless 24V, com um consumo tão baixo que o automatizador pode ser mantido com bateria e, inclusive, recarregado via painel solar próximo a ele. Para saber mais, consulte ppa.com.br/brushless.

 

Adotando medidas simples no dia a dia e consumindo recursos naturais e produtos eletroeletrônicos de maneira consciente, tanto o orçamento doméstico quanto o meio ambiente serão beneficiados.

 

Compartilhar