Blog

Os erros que os instaladores de câmeras devem evitar

Um trabalho organizado, limpo e descomplicado pode ser a sua melhor propaganda

26/03/2020

Bons equipamentos de segurança e medidas preventivas. OK. Até aqui já ficou bem claro que esses dois itens são essenciais para proteger residências, repartições públicas, consultórios, escolas, lojas, fábricas. Mas essa combinação só fica completa quando os clientes podem contar com profissionais que saibam, de verdade, o que estão fazendo! Nada de contratar o serviço de curiosos – sabe aquela conversinha de “o primo do cunhado do amigo do meu vizinho instala câmeras por um precinho camarada”? Fuja disso.

Instaladores capacitados e certificados são tão importantes quanto quaisquer outros profissionais. Assim, não se corre o risco de termos um serviço pela metade e que pode render ainda mais despesas e dores de cabeça. Aqueles que apenas “improvisam” nas instalações, deixam muitos erros para trás e é bom ficarmos atentos a isso. Para que o investimento valha realmente à pena, o instalador deve EVITAR:

 

1- Indicar produtos de qualidade duvidosa: Escolher equipamentos de segurança tendo o preço mais baixo por parâmetro, pode não ser tão vantajoso assim. Apesar de os produtos estarem superacessíveis hoje em dia, os instaladores devem prezar pelo que há de melhor do mercado, de acordo com cada situação e que as câmeras tenham a melhor resolução possível.

2 – Fazer um carnaval de cabos: Pode não parecer, mas a desorganização e o desleixo com os cabos e conectores podem atrapalhar a instalação: o cabeamento deve ser utilizado de forma limpa, distinguindo-se um do outro e que ele nada fique exposto ou desprotegido. Cabos soltos podem perder a eficiência por sofrer a ação do clima e comprometer a segurança de quem passa por perto.

3 – Improviso: Antes de executar a instalação, é necessário um planejamento, para que nada reste fora do lugar. O instalador deve conhecer previamente as limitações e as possibilidades de cada lugar e saber quais áreas necessitam de mais monitoramento. Tudo deve ser pensado, etapa a etapa.

4 – Ignorar o nobreak: Para garantir o funcionamento mais seguro dos sistemas de alarmes e demais dispositivos, é sempre indicado o instalador contar com um nobreak. Essa é uma medida básica preventiva para o caso de um apagão – assim, ainda que falte energia, o aparelho mantém o sistema ativo por algum tempo.

5 – Não levar em conta a incidência de luz no ambiente: Testes devem ser feitos durante o dia e durante a noite, a fim de verificar como os aparelhos se comportam e como os sensores e a resolução da câmera respondem à incidência da luz –tanto solar quanto artificial.

6 – Deixar o DVR exposto: Este é o equipamento responsável pela gravação e armazenamento das imagens das câmeras de segurança e só por isso a instalação do DVR deve ser estudada atentamente. Ele deve ser posto em um local seguro e longe

 

Num primeiro momento estes podem parecer apontamentos superficiais, mas que podem fazer uma grande diferença no trabalho do instalador e na impressão que ele causará em seu cliente.

Compartilhar